Pessoa, escrever, computador portátil

Porque deve elaborar um Plano de Marketing

Março 15th, 2018 Posted by ESTRATÉGIA DE MARKETING 0 thoughts on “Porque deve elaborar um Plano de Marketing”

A primeira referencia que gostaríamos de partilhar é a de que o plano de marketing deve ser elaborado por todas as empresas, sejam elas grandes empresas ou o empreendedor que inicia um projecto sozinho.

A segunda é a de que o plano de marketing deve ser, acima de tudo, um documento útil e o seu desenvolvimento terá de ser adaptado à dimensão da empresa, aos recursos disponíveis e informações do mercado. E pode resultar num documento com diversas paginas ou de uma única pagina, o importante é que seja operacional, possível de colocar em pratica.

É o Plano de marketing que vai ajudar a transformar o sonho do empreendedor em ações estruturadas.

 

E o que é o Plano de Marketing?

O Plano de Marketing é o documento estratégico que define e descreve o “caminho” que a sua empresa irá seguir.
A sua periodicidade deve ser anual, no entanto, devido à velocidade a que o mercado evoluí e se altera, há quem opte por elaborar o plano a seis meses, o que é perfeitamente aceitável. Na Living Strategies acreditamos que o ideal é o plano a 1 ano, sendo que, o acompanhamento e a medição de resultados regulares, poderão levar a que algumas acções sejam revistas e alteradas durante esse período.

Existem alguns pontos que não constam de um plano de marketing mas que são decisivos na elaboração do mesmo, pelo menos, na elaboração do primeiro plano. Estes pontos são definições estratégicas da empresa, nomeadamente, a Missão, a Visão e valores.

E o que deve constar num Plano de Marketing?

De uma forma resumida, o plano de Marketing divide-se em quatro áreas distintas: Diagnostico ao estado actual do mercado, a definição da estratégia para abordar esse mercado, a implementação da estratégia definida e finalmente o controlo das actividades e avaliação dos resultados.

Diagnostico

Esta primeira fase consiste na analise ao mercado, à concorrência e uma analise interna.
Na avaliação do mercado devemos considerar a sua dimensão e características, a sua evolução e tendências.
É também de extrema importância conhecer o publico-alvo (dados demográficos, sociais, económicos, hábitos, entre outros).

Sobre a concorrência, é crucial obter o maior conhecimento que nos for possível, analisando os pontos positivos, negativos, os 4 P’s (preço, produtos/serviços, distribuição e comunicação) o posicionamento e outras informações que sejam relevantes.

Após concluída e estruturada a informação acerca do mercado, é o momento de olharmos para dentro e analisar a situação interna. A analise interna tem de ser o mais pragmática e real possível e poderá ser baseada na matriz SWOT (sigla inglesa para: Forças, fraquezas, oportunidades, ameaças)

A analise ao mercado e à empresa, permitem dispor de condições para se transformar dados em acções.

Estratégia

O primeiro passo é estabelecer e definir os objectivos, os estratégicos (mais direcionados para a componente financeira) e os de marketing (mais relacionados com a vertente comercial da empresa)

É neste momento e com o conhecimento adquirido nos pontos anteriores que poderá definir a segmentação, diferenciação e por consequência estabelecer o posicionamento da sua marca.

Segmentar consiste em dividir o mercado em grupos com características homogéneas. Os critérios de segmentação devem ser pertinentes e relevantes para o negocio. De um modo geral, se a empresa opera no mercado Business to Consumer (B2C) os critérios habituais dividem-se entre objectivos (demográficos, sociais, económicos e geográficos) e os subjectivos (comportamentos, estilo de vida, motivações, etc). Se a empresa está direcionada para o mercado Business to Business (B2B), os critérios de segmentação baseiam-se no sector de actividade, dimensão, geográfico e financeiro. Mas outros critérios poderão ser acrescentados, como referimos anteriormente, o importante é que sejam relevantes e adequados.

Após segmentarmos e selecionar-mos o nosso mercado-alvo, estamos em condições de definir a diferenciação e o posicionamento da nossa marca, isto é, o que vamos ter de diferente e único (diferenciação) e como queremos ser percepcionados pelo nosso publico-alvo (posicionamento).

Estes dois elementos, diferenciação e posicionamento, juntamente com a segmentação, são o ponto de partida para a forma como a empresa se irá apresentar ao mercado.

Por esta altura já dispomos de condições para definir o marketing mix, os 4 P’s, da empresa.

Produto – que produto/serviço(s) se enquadram e acrescentam valor no mercado-alvo

Preço – que preço deveremos praticar de modo a estar de acordo com o posicionamento definido e que o nosso publico-alvo está disposto a pagar pelo produto/serviço que entregamos.

Promoção (comunicação) – que meios se enquadram no posicionamento e nos permitem alcançar o publico-alvo

Place (distribuição) – método e em que canais queremos estar presentes e distribuir o nosso produto/serviço

Implementação

Plano de acção

Aqui é onde devemos aplicar toda a nossa a criatividade.
Neste ponto definimos e elaboramos a estratégia de comunicação online e offline, com a descrição pormenorizada de todos os meios, mensagem e objectivos. Também é o momento de definir as iniciativas comerciais, como promoções, campanhas ou dimensão e distribuição da equipa de vendas.
Resumindo, todas as acções a que nos propomos que visam o contacto e comunicação com o mercado e que nos permitam alcançar os objectivos propostos.

Cronograma

De uma forma simples e de fácil leitura, devemos apresentar a distribuição temporal das diferentes acções, indicando a duração e o período em que cada uma irá ocorrer.

Orçamento

O orçamento de marketing deve conter e agregar a informação financeira do plano, com distribuição de valores de custo por acção e, em determinadas situações, o retorno do investimento (ROI) previsto para cada acção

Monitorização e controlo

O ultimo ponto do plano, mas sem duvida, um dos mais importantes, é a monitorização das acções.
Neste ponto devem ser definidos os KPI’s e os momentos de controlo dos resultados. Esta monitorização é essencial para o acompanhamento da evolução do plano e da actividade da empresa e se necessário ajustarmos as tácticas, no sentido de optimizar recursos e atingir os objectivos pretendidos

Que vantagens oferece um plano de marketing?

– Permite conhecer detalhadamente o negocio, as suas limitações e os seus pontos fortes. O que torna possível tomar decisões a partir de uma situação real.
– Possibilita a visualização da situação actual e da que se pretende, assim como, definir objectivos efectivos e exequíveis.
– Permite também, ter uma estrutura e calendarização das acções que ajudarão a alcançar os objectivos definidos
– O acompanhamento e analise de resultados, facilita a percepção da evolução da empresa
– O plano de marketing é também o guia para as decisões do dia-a-dia, porque permite alinhar toda a empresa no mesmo caminho, todas as decisões terão uma orientação prévia e um objectivo comum.

Esperamos que este artigo o ajude a compreender a importância de um plano de marketing e porque a sua empresa deve criar o mesmo o mais breve possível.
Sabemos que a elaboração de um plano de marketing é complexa. A Living Strategies dispõe de marketeers especialistas, que o apoiarão na elaboração e implementação do plano de marketing da sua empresa

Pretende elaborar o Plano de Marketing da Sua empresa?

Fale connosco

             

Escrito por Mário Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *